Nesse momento em que vos escrevo (Bia), estamos parados em um posto policial sem previsão de quando chegaremos em casa. E eu nunca imaginei que isso pudesse acontecer com a Buser.

Vamos do início.

A Buser é uma empresa de freteamento de ônibus por aplicativo, que teve inicio em 2017 com propósito de ser uma alternativa segura e moderna de transporte intermunicipal, visando em reduzir os custos e agilizar a compra das passagens.

A ideia, por si só, é maravilhosa. Ônibus muito mais barato do que os da rodoviária e muitas vezes até mais confortável.

Porém, nem tudo são flores.

Essa é nossa quarta viagem de Buser, as primeiras foram uma ida e volta para a Aparecida do Norte e a terceira uma ida para o Rio de Janeiro.

Todas as viagens foram rápidas e práticas. Realizamos a compra pelo aplicativo, embarcamos no horário informado apresentando apenas um documento com foto e pronto: a caminho do destino.

Na volta do Rio de Janeiro tivemos uma grande surpresa, o ônibus em que estavámos foi parado pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e pela polícia rodoviária, que pegou os documentos de todos os passageiros e nos informou que era apenas um procedimento de rotina.

Até aí tudo bem.

Fomos encaminhados para o posto policial e depois de 40 minutos vimos que algo errado não estava certo. Ônibus fechado e nenhuma notícia do que estava acontecendo. Em seguida, chegam dois e-mails do Buser. Um reembolsando o valor da passagem e o outro com a seguinte mensagem:

E-mail que recebemos da Buser

Pedimos para descer e após mais uma longa espera o policial que nos parou veio nos explicar a situação. Nas palavras dele, a Buser é uma empresa regularizada apenas para fazer transporte de excursões. Ou seja, excursões escolares, de igreja, amigos, etc, tudo bem, mas transporte de passageiros de um ponto a outro da maneira como estávamos fazendo, não.

Essa informação, comparando com o e-mail recebido pela Buser, nos deixou chocados. Afinal, quem realmente estava nos dando a informação correta?

Ao olhar pela janela, vimos que mais 4 Busers haviam sido parados, então a coisa estava bem complicada.

O policial nos informou que trocaremos de ônibus que nos levará até uma rodoviária, lá será necessário que o motorista do nosso ônibus compre novas passagens para todos e só assim poderemos prosseguir viagem.

Fomos parados pela polícia por volta das 16h30, agora são 18h36 e o ônibus ainda não chegou.

Estamos com fome, já que embarcamos às 13h e pretendíamos almoçar no Graal que estava bem próximo do posto policial, e permanecemos aguardando.

Passar por essa situação está sendo extremamente desconfortável. Além da fome, estamos exaustos da viagem.

Acho importante que você saiba que isso é o tipo de coisa que pode acontecer quando você viaja com a Buser. Então nossa indicação caso esteja nos seus planos viajar com a empresa é: não tenha seu tempo programado. Fomos para o Rio de Janeiro para realizar o procedimento do nosso visto para o Reino Unido, tínhamos um horário marcado e sem previsão de remarcação, caso perdessemos. Então é muito importante você não ter nada programado ao viajar com eles nesse momento.

Esse tipo de situação está acontecendo porque a empresa é nova e uma concorrente muito forte para as rodoviárias. O preço é extremamente acessível e tivemos um conforto muito maior que qualquer outra empresa anterior.

Termos sido parados pela polícia é algo que não poderia acontecer, já que a empresa tem autorização para rodar. Mas, sabemos como as coisas são no Brasil…

Por fim, em um primeiro momento ter passado por essa experiência nos abalou muito em viajar com a Buser novamente. Mas após algumas pesquisas e conversas com outros usuários, decidimos que continuaríamos considerando a empresa como uma boa opção. Afinal, nossa experiência anterior foi muito boa e superior a várias viagens que fizemos com ônibus de rodoviária.

E você, já viajou com a Buser e tem alguma experiência para contar?

Nos vemos na estrada!

Atualização: O outro ônibus que nos levou para casa chegou às 18h50, o horário previsto para chegar em São Paulo seria 19h20, chegamos em SP apenas às 23h. Mortos com farofa.

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.