Demorou mas chegou! Fizemos um passo a passo com TUDO o que você precisa saber para realizar seu Intercâmbio Voluntário no Reino Unido.

Nós conhecemos o intercâmbio voluntário em 2019 e sabíamos naquele instante que esse seria o melhor tipo de intercâmbio para nós.

Se você ainda não conhece o intercâmbio voluntário, vale a pena clicar aqui e conferir um outro post onde explicamos direitinho o que é.

Continuando, depois de conhecermos esse intercâmbio, procuramos mais informações na internet e não conseguimos encontrar praticamente nada que fosse uma luz para como faríamos para chegar no nosso objetivo. Por isso, decidimos trazer esse passo a passo com todas as informações que consideramos mais importantes.

Bora lá?

Passo 1: Leia todas as informações no site oficial do governo

O mais importante: leia TUDO o que está no site do governo britânico. As informações mudam todos os anos e é muito importante você estar sempre atualizado(a).

Clique aqui para acessar o site oficial. Não se incomode se seu inglês não for muito bom, você pode usar o Google Tradutor nesse momento.

Print tirado do site do Governo Britânico

Passo 2: Encontre um patrocinador

Para nós, essa foi a tarefa mais difícil. A lista tem quase 1.000 instituições para realizar o voluntariado e não há os meios de contato. Então você terá que selecionar todas as instituições que se interessou e pesquisar no google cada uma delas.

A primeira coisa que você vai fazer é baixar a planilha das instituições clicando aqui. Depois disso, em “Type & Rating” você deve filtrar por “Temporary Worker” e em “Route” por “Voluntary Workers”, isso significa que você vai ter permissão temporária para trabalhar como voluntário.

Depois de ter filtrado, você pode aplicar alguns outros filtros como nós fizemos. Nós não temos/frequentamos uma religião e muitas instituições são religiosas e pedem que você comprove uma carta de recomendação do seu pastor/padre/igreja/etc, e não teríamos esse documento. Por isso, filtramos todos os termos relacionados à religião. Você também pode filtrar por locais do Reino Unido, nós, por exemplo, deixamos no nosso filtro apenas por locais na Inglaterra, pois era onde desejávamos passar nosso período.

Após a seleção apenas de instituições que fazem sentido para o seu propósito, é o momento de eleger um top 10, para isso recomendamos que você pesquise a fundo todas da lista (é enorme, eu sei), mas dessa forma você vai saber como focar o seus esforços no que mais interessa.

Tudo pronto? Hora de começar a aplicar!

Passo 3: Entrar em contato com o patrocinador

A maioria das instituições possuem um formulário direto no site para aplicação, mas muitos sites são ruins ou estão desatualizados. O ideal é que antes de passar horas preenchendo formulários, você envie um e-mail de apresentação perguntando se há vagas abertas para voluntários.

É importante fazer um e-mail bem escrito em inglês, então caso você não seja avançado, vale a pena pedir a força daquele amigo(a) que é um pouco melhor no idioma.

No nosso e-mail resumimos algumas informações importantes para nós e explicamos o porquê gostaríamos daquela vaga. – É como um emprego, então você tem que se esforçar, combinado? – Enviamos em casal, então inserimos:

  • Nossos nomes;
  • Idades;
  • Informamos que morávamos no Brasil;
  • Colocamos nossa formação e com o que trabalhávamos;
  • Falamos que fizemos uma longa pesquisa e que encontramos a instituição no site do governo britânico e por X motivos achamos que ela era ideal para o nosso propósito;
  • Informamos também o que nos motivava a fazer um intercâmbio voluntário e nosso nível de inglês (ressaltamos no e-mail que estávamos estudando todos os dias para melhorá-lo);
  • No final, pedimos mais algumas informações sobre o programa de voluntariado e sobre como poderíamos fazer para aplicar, e nos colocamos à disposição caso tivessem alguma dúvida.

Se você tiver alguma experiência anterior com trabalho voluntário é muito importante informar também e/ou se já trabalhou com atividades similares, como cuidar de crianças, idosos, fazenda, etc. Mas antes de citar, veja se faz sentido, ok?

Também é legal colocar se você toca algum instrumento musical, canta ou faz alguma atividade que pode ajudar nos momentos de recreação – No nosso caso, não sabemos NADA hahaha

Depois você irá receber o formulário de aplicação, possivelmente nele eles irão te perguntar o que te motiva, você pode citar o que colocou no e-mail com mais profundidade. Também é legal citar a experiência que você espera ter durante seu tempo lá, que está disposto(a) a colocar a mão na massa e cuidar da cozinha, limpeza e outros afazeres, caso necessário.

Provavelmente também eles irão te pedir alguns contatos de referência, o ideal é que você informe algum professor ou colega de trabalho que tenha mais afinidade. Não vale colocar familiares nesse momento.

Nós sabemos, no começo vai parecer um bicho de 7 cabeças. Mas se você colocar toda sua vontade ali, vai sair uma apresentação bem legal. Nós acreditamos em você.

Passo 4: Entrevista – Ai meu Deus, eles marcaram uma entrevista!!!

Bicho, esse é o momento que tivemos mais medo! Hahahaha

Pra quem não tem um inglês avançado/fluente, você treme na base nesse momento. Passamos noites sem dormir antes da nossa entrevista.

Mas calma! Vamos tentar deixar tudo mais tranquilo?

Assim que eles marcarem a entrevista com você, recomendamos que você mande um e-mail agradecendo por estarem disponibilizando um tempo para vocês conversarem e também perguntar se eles tem alguma dica que possa te ajudar a estar mais preparado(a) nesse momento e por onde será a entrevista, se será ligação, Skype, WhatsApp, etc.

Infelizmente não vamos conseguir ajudar tanto nesse momento, porque cada instituição vai entrevistar de uma maneira diferente. Na nossa instituição, por exemplo, eles enviaram um material sobre cuidados que deveríamos estudar. Nesse material havia algumas perguntas sobre como cuidar de uma pessoa com deficiência, se você fosse uma pessoa com deficiência qual trativa seria melhor pra você, sobre qual a importância da confidencialidade e coisas assim. Não nos perguntaram nada sobre nós e nem sobre o que colocamos no formulário de aplicação, mas estudamos mesmo assim.

Conhecemos algumas pessoas de outras instituições onde só fizeram perguntas que estavam no formulário, por isso é muito importante você pedir dicas para se sentir mais confortável nesse momento.

Uma coisa que ajudou a Bia foi chamar uma amiga que tinha um inglês bacana e treinar como se ela fosse a entrevistadora.

Aqui entre nós, no dia da entrevista bebemos uma cervejinha para destravar o inglês e diminuir a nossa ansiedade. Deu certo por aqui, mas só faça isso se você se conhece, tudo bem? E se for, uma só hein? Não vale ficar bêbado(a) no dia da entrevista!

Outra coisa importante é estar em um ambiente calmo, sem muito barulho externo e organizado, caso seja por vídeo.

E lembre: você sempre pode tentar de novo. Se nessa não deu certo, tente marcar uma outra com a instituição ou marque com instituições diferentes. não desista.

Passo 5: Aplicação do visto – Reino Unido tô chegando!

Daqui pra frente é só sucesso! Se você chegou até esse passo é porque eles te deram um retorno positivo da entrevista e irão te mandar sua carta de patrocínio.

Agora começa a parte burocrática (e cara) do processo.

Você receberá todos os documentos necessários para iniciar a aplicação do visto. Possivelmente eles te enviarão uma carta convite, uma carta de patrocínio (COS – Certificate of Sponsorship) e os dados da instituição (que você precisará informar na solicitação do visto).

Com tudo em mãos, você deverá clicar aqui e começar a aplicação no site do governo britânico.

Fizemos um vídeo tutorial de como fazer a aplicação, achamos que dessa maneira ficaria mais visual para vocês entenderem, e você pode conferir abaixo:

Passo 6: VFS Global

Essa foi a parte que mais nos causou estresse.

O VFS é o centro de aplicação de vistos que atua em acordo com o Reino Unido e outros países para a coleta de dados biométricos e fotografia.

É basicamente um lugar para te fazer perguntas sobre o porquê você está tirando o visto, confirmar alguns dados, tirar uma foto sua e coletar as digitais. O serviço em si é rápido e fácil, o problema, talvez devido a pandemia, foi o agendamento no site.

Para nós, foi uma luta conseguir agendar um horário, o Vino por exemplo só conseguiu em outro estado e tivemos que viajar para isso. Ficamos com o site aberto dia e noite atualizando a cada momento para conseguir um horário. Parecia mais uma fila para comprar ingresso de show.

O upload com os documentos para a comprovação do visto será feito apenas quando você concluir o agendamento. Você tem até 24h antes da data marcada no VFS para subir seus documentos + COS (carta de patrocínio) + dados da instituição no site. Após esse prazo, ou caso queira, você pode ir até o centro e será necessário pagar uma taxa alta para que eles façam o upload dos documentos para você.

Quanto mais documentos você colocar mais tempo vai levar para eles retornarem informando se seu visto foi negado ou aprovado. Nossa recomendação é: menos é mais. Faça upload apenas de documentos que serão realmente necessários para aprovação. Como voluntário você não precisa comprovar nenhum nível acadêmico nem nada do tipo, então fizemos o upload apenas do passaporte, carta convite, COS (carta de patrocínio) e dados da instituição com o número de autorização para receber voluntários.

E lembre-se, apenas marque em um dia que você pode largar tudo para ir. Se você tiver que reagendar, vai ser uma dor de cabeça sem fim, pois você terá que iniciar todo o processo da aplicação do visto novamente, solicitar reembolso e pagar uma nova taxa. Tradução: caótico. Então pela sua saúde mental, se programe para chegar com antecedência.

Lá, eles irão te informar o prazo para receber seu visto (caso aprovado) e passaporte (que ficará com eles no dia da sua aplicação). O nosso prazo foi de 15 dias úteis.

Eles deixarão bem claro que só são intermediadores, quem decide tudo e estabelece um prazo é o governo britânico.

Para receber seu visto, você pode optar pela retirada ou entrega. Se você precisou viajar para outro estado, é mais recomendado pagar a taxa de entrega, que é cerca de R$100. No nosso caso, optamos por pagar porque nos informaram que se o centro precisasse fechar em algum momento, como um feriado, teríamos nosso passaporte entregue na data informada. Já para retirar ficaríamos sujeitos aos horários e dias de funcionamento do centro.

Passo 7: Compra de passagens aéreas e embarque

Com o visto em mãos, é a hora de comprar as passagens. Pergunte para sua instituição qual o melhor aeroporto e coloque no Google Flights para monitorar os valores até encontrar um preço que você considere ideal.

Como dissemos no post Intercâmbio Voluntário no Reino Unido por um ano: Quanto gastamos?, pagamos R$1.205,78 na nossa passagem, com direito a uma bagagem de mão e um item pessoal e não despachamos bagagem. Sabíamos que nossas roupas de inverno do Brasil não serviriam aqui na Inglaterra, então não tínhamos tanta coisa para trazer.

Sempre pesquise no site da companhia que você está viajando o que pode ou não ser levado na bagagem de mão, isso é importante para que você não tenha que jogar suas coisas fora no aeroporto.

Logo mais traremos um vídeo e post sobre os principais itens permitidos na bagagem de mão.

E tenha em mente: tudo o que for importante (documentos, laptop, cartões, etc) anda sempre junto com você. Nunca despache nenhum item essencial.

Passo 8: Imigração

Esse era nosso terror ao aterrissar. Não fazíamos ideia do que iam perguntar e se íamos conseguir responder.

Como você já está com o seu visto em mãos, a chance de negarem a sua entrada no país é muito baixa, mas não minta nunca, pois se eles sentirem que você está mentindo, aí é certeza que eles te impedirão de entrar.

Se você tem dificuldade com inglês, o ideal é deixar toda a documentação que recebeu em mãos e entregar para eles. Esteja preparado(a) para responder perguntas básicas como nome completo, data de nascimento, local de nascimento, para onde você está indo, quanto tempo você pretende passar no país e o porquê você está ali. Sempre diga o que foi orientado pela sua instituição, então lembre-se de que você não está indo trabalhar, e sim compartilhar a vida e novas experiências em um voluntariado. E sim, eles podem te impedir de entrar caso você diga que está indo trabalhar, já que esse não é o propósito do seu visto.

A primeira coisa que fizemos quando chegou nossa vez foi entregar a carta convite que recebemos onde especificava nossos afazeres na instituição e não havia muitas perguntas a serem feitas pelo oficial depois que ele leu.

E teve um momento que nos perguntaram se tínhamos mais de £1.000 em dinheiro conosco e se portávamos alguma arma, droga ou cigarro. A resposta para tudo foi não (risos) e como não fumamos, não podemos ajudar com essa questão.

Passo 9: Aproveite sua estadia e compartilhe conosco!

Você terá um ano para realizar seu voluntariado aqui. Aproveite todos os momentos livres, compartilhe toda a experiência com sua família e amigos que ficaram no Brasil e tente tirar o melhor que essa experiência pode te oferecer. Temos certeza de que será inesquecível ❤️

E aí, gostou do conteúdo? Conta pra gente, você achou mais fácil ou difícil do que estava imaginando?

Qualquer dúvida que você tiver, é só deixar aqui nos comentários que faremos o possível para te ajudar.

Nos vemos na estrada!

Você também pode gostar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *